sábado, 5 de abril de 2014

Em caso de dúvida, viaje!

Quando estou meio assim.
Pisando em caco de  vidros,
soltando pólen das asas,
poeira demais nos sapatos...
Saudades dos dias idos.
Lembranças de fotos, e fatos!
Nostálgica, frágil, quebradiça...
Sou isca fácil,  para uma tal solidão.
Ensimesmada, pelos cantos da casa.
Vou tocando o dia à dia à fogo e facão!
Desbastando galhos, abrindo janelas.
Derrubando paredes, aparando arestas.
Inventando tréguas sob campo minado.
Afundando memórias, afetos e mágoas,
nas águas  revoltas do meu lago sagrado.
Compro uma passagem de ida, e viajo!





3 comentários:

  1. Que delicia seus vôos Rita! Aterrisei meus sentimentos nos seus versos e encontrei nesse dia nublado e sem perspectiva, uma boa recarga de vida. Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Nossos vôos se cruzaram há uns 6 anos atrás na Índia. Éramos uma familia com neném, crianças, barbudos..uns perdidos em Rishkesh.

    ResponderExcluir

Pode comentar... E obrigada pela companhia!